90 / 100

PILARES DA FOTOGRAFIA: CONHECENDO POR TRÁS DO CLICK

Vamos ver o que cada um deles significam e como aplicá-los
na fotografia de produtos.
gi 2

POR GISELLE VERÍSSIMO

Os pilares da fotografia se resume a esses 3 passos que são:

  • ISO
  • Abertura do Diafragma
  • Velocidade do Obturador
 

Parece complexo, mas se bem ajustado, faz com que você consiga um grande avanço em suas fotografias.

ISO

Esse é um outro ponto que merece atenção. O ISO está relacionado com a sensibilidade que o filme ou o sensor tem de registrar a luz. 

Por exemplo, quanto menor a sensibilidade, maior é a necessidade de luz e vice-versa.

pilares-da-fotografia-guia-de-iso

Quando você altera o ISO, você está mudando a velocidade com a qual o sensor recebe luz do exterior.

pilares da fotografia configuracao do iso

Conforme essa velocidade aumenta, suas fotos ficam mais brilhantes, mas também começam a ter ruídos (aqueles granulados que vemos em fotos com baixa resolução).

Para começar na fotografia, deixe essa configuração de lado e utilize os modos automáticos. 

Não há por que reduzir a qualidade de suas fotos para obter imagens mais brilhantes, por enquanto.

Isso também vale para as configurações de qualidade de sua câmera. 

Sempre deixe ela na melhor forma possível. 

Se você precisar reduzir o tamanho do arquivo, você pode fazê-lo depois em editores de imagem.

Além disso, cartões de memória não são acessórios caros, então você não corre o risco de ficar sem memória.

Note que, quanto menor o número, maior a nitidez de sua foto, porém é necessário mais luz para compensar. 

Quanto maior o número do ISO, mas escuro é o ambiente, porém a foto sairá granulada, com baixa qualidade.

Abertura

O diafragma na fotografia é o diâmetro da abertura das lentes. Esse diâmetro é um dos fatores que define a quantidade de luz que entrará na câmera, até o sensor. 

Quanto maior for a abertura, mais luminosa é a objetiva (mais apta para locais com pouca luz). Diafragma mais aberto = mais luz = menor o número.

pilares-da-fotografia-guia-de-abertura

Por exemplo, quanto mais aberta a lente estiver, na casa do f1.4 até uns f4 pontos, mais profundidade de campo sua foto terá, ou seja, seu objeto estará em foco, mas o fundo não e vice versa. 

O ponto focal é bem preciso, borrando a imagem poucos milímetros a seguir. 

Esse tipo de foto é mais dramática, muito utilizada em ensaios e eventos.

Já a abertura mais fechada, até parece estranho falar assim, não é mesmo? 

Mas trocadilhos à parte, a abertura menor, acima de f16, torna a imagem mais uniforme, trazendo mais informações nítidas. Essas aberturas são mais utilizadas em fotos de paisagens e natureza.

Velocidade

A velocidade, em primeiro lugar, é quem manda na hora de capturar o momento, congelando o instante ou deixando um rastro para mostrar movimento. 

Ela, em conjunto com os outros 2 pilares, é muito importante para definir uma imagem satisfatória. 

Nada mais é do que a velocidade em que a cortina abre e fecha, deixando entrar mais ou menos luz. 

Por exemplo, quanto mais rápido ela abre e fecha, menos luz entra e vice e versa.

pilares-da-fotografia-guia-de-velocidade

Note que quanto maior a velocidade, mais nítido é o objeto que está em movimento na cena. 

Ele congela o movimento literalmente. 

Para fotografar um carro de Fórmula 1, por exemplo, é necessário uma velocidade rápida, como 1/4000, 1/3000 ou 1/2000.

Ou seja, no caso de ajustes de velocidades baixas, tendem a borrar a imagem devido a demora em fechar a cortina. 

Porém, a velocidade lenta também pode ser interessante em alguns casos, como ao fotografar longas exposições. 

Utilizando um tripé e a velocidade de 15 segundos, conseguimos esse efeito de Light Painting em ruas e rodovias. 

São aquelas fotos que as luzes dos faróis e lanternas riscam a imagem como um rastro.

Gráficos: Edu Mídias Comunidade Surda

Em outras palavras, na fotografia de produto é necessário verificar o local escolhido para fotografar, o tamanho do produto e a quantidade de luz disponível para fazer o click. 

Certamente tudo isso influencia na hora de ajustar sua câmera.

Fotografia macro

As câmeras portáteis, em sua grande maioria, têm uma função macro que permite focalizar um objeto a 5 cm ou menos da câmera, dependendo da qualidade da lente.

No celular procure no aplicativo da câmera o modo macro, geralmente sinalizado por um ícone no formato de uma pequena flor estilizada. 

Faça um teste nesse modo com algum objeto bem próximo apenas para confirmar se o smartphone consegue focalizar com precisão. 

Ela ajuda muito, pois você pode se distanciar da mesa de trabalho e obter bons resultados.

Poucas coisas são tão fascinantes quanto as fotografias macro.

Hoje em dia, praticamente qualquer celular já vem com essa função, mas nada substitui as câmeras profissionais. 

Ou será que substitui?

A imagem acima foi feita utilizando um smartphone. 

Para obter o mesmo efeito com a câmera do seu celular, você vai precisar de uma câmera de filme antiga (com certeza tem alguma perdida na sua casa – pode até ser aquelas de brinquedo), fita isolante (ou fita adesiva) e um telefone celular, claro.

Como na macrofotografia aproximamos muito a câmera do objeto a ser fotografado é comum que acabemos jogando nossa própria sombra por cima da cena. 

Smartphones normalmente não tem muita sensibilidade à luz então o ideal é que você movimente a câmera procurando não jogar sombras sobre o objeto ou então use uma fonte de luz, como um abajur, por exemplo, para iluminar a cena de outro angulo. 

Em alguns modelos é possível tentar utilizar o flash mas na maioria dos casos a imagem pode ficar superexposta (muito clara).

A função macro pode ajudar muito, por exemplo, na hora de fotografar seus produtos, principalmente aqueles bem pequenos onde as lentes tem dificuldade de focar. 

As fotografias no modo macro salientam pequenos detalhes acima de tudo, como texturas e gravações, que podem passar despercebidas, quando fotografadas de um ângulo mais distante.

Funções da câmera

A configuração do seu equipamento é uma das etapas mais importantes na fotografia. Uma câmera configurada corretamente facilita o seu trabalho e diminui a necessidade de edição. 

Além disso, otimiza o seu trabalho na hora de utilizar as suas fotos. 

A câmera, para muitos, é uma ferramenta complexa. Muitos botões e funções para diversas finalidades. Mas não é preciso se assustar com tudo isso.

A princípio iremos abordar apenas as funções básicas e com o tempo e conforme você for se familiarizando com o equipamento é possível se aprofundar e fazer fotos de produtos de diversas maneiras.

Mas para facilitar um pouco mais na hora de fazer as fotos, vamos te mostrar as funções mais triviais e como usá-las em cada situação. 

Antes de mais nada é preciso saber: o que você quer fotografar? 

Portanto saber o que você quer fazer com a sua câmera é o ponto de partida para escolher as configurações corretas. 

A maioria dos celulares vêm com um monte de modos pré-configurados que são ideais para conseguir certas imagens. 

Basta você saber como encontrá-los nas configurações. 

Pode ter certeza que já há um modo preparado para o tipo de foto que deseja fazer, pronto para facilitar o seu trabalho.

Foco manual ou automático?

Não podemos negar que os ajustes automáticos de foco auxiliam na hora de fotografar, mas existem situações em que ele não funciona como o esperado. 

Esta limitação pode ser percebida quando fotografamos em ambientes com pouca luz.

Este não é o caso das fotografias de produto, pois o principal pré-requisito para iniciar a produção é a luz, que deve ser abundante. 

É importante lembrar que a câmera não tem a mesma ideia que sua mente está planejando, ela sempre irá buscar os pontos mais iluminados ou o objeto mais próximo que encontrar para fazer o foco.

Além disso, essa escolha determina como você focará a sua foto. 

Com o foco automático, o celular encontrará um ponto dentro do quadro para focar antes que você tire a foto. 

No outro caso, o manual, você mesmo escolhe como e onde exatamente focar no enquadramento da imagem.

Para um iniciante, a sugestão é escolher o foco automático sempre que possível. 

Isso porque o olho humano não é assim tão bom para julgar o foco de uma imagem quanto a configuração do próprio equipamento.

Celular: A maioria dos celulares touch screen tem a seleção de foco na própria tela, o que facilita bastante na hora de fotografar.

Câmera compacta: Elas possuem vários tipos de seleção de foco. No menu da câmera você encontra as opções:

– Multi Foco: Distribui o ajuste do foco pela cena inteira, com vários pontos.

– Foco Central: Focaliza a parte central da cena, que fica entre .

Câmera profissional: As câmeras DSLR com lentes possíveis de trocar, possuem um anel específico para o foco, que pode ser utilizado no modo manual ou automático.

Balanço de branco

Algumas vezes, fotografias tiradas no mesmo ambiente apresentam cores diferentes. 

Umas ficam mais amareladas e outras azuladas. 

Portanto essas variações são resultado do balanço de branco automático na câmera. 

Ou seja, em alguns momentos a lente não consegue distinguir o que é branco no ambiente e distorce as cores na foto. 

Isso se dá pela interferência das luzes, que podem ser quentes: como a luz do sol e lâmpadas incandescentes, ou por luzes frias: luzes de LED ou fluorescentes, por exemplo.

pilares-da-fotografia-luzes-ambiente

Cada um dos tipos de luzes presentes no nosso dia a dia produz um brilho com uma cor característica. 

Portanto alguns tipos de fontes de luz produzem um brilho mais amarelado, outras possuem uma cor característica em tons de verde ou azul. 

Não apenas as lâmpadas, mas alguns ambientes que possuem paredes coloridas ou muitas superfícies de uma mesma tonalidade podem refletir a luz em tons característicos.

Apesar de o nosso olho ser “treinado” para compensar essas diferenças, uma máquina fotográfica não tem a mesma capacidade. 

Ou, pelo menos, não tem como resultado algo tão eficaz.

Quando uma fotografia é tirada, o brilho refletido no ambiente vai interferir nas cores da imagem. 

Em um quarto iluminado por uma lâmpada quente, por exemplo, tudo o que for branco, vai sair na foto com tons levemente amarelados. 

Ajuste a sua câmera antes do disparo e evite trabalhos futuros.

Configurando o balanço de branco

Conheça melhor cada uma das opções para configurar o balanço de branco ou white balance e descubra como fazer isso no seu equipamento. 

Além disso, quanto mais próxima a sua foto ficar do objetivo final, menos tempo de edição será necessário.

pilares-da-fotografia-balaco-de-branco

AWB

Balanço de branco automático. Esse ícone pode ser representado por “A” ou “AWB”. 

A câmera analisa a imagem e configura o balanço de branco automaticamente. 

Mas isso pode não representar exatamente o que você precisa.

Lâmpada Tungstênio

As luzes de tungstênio (as mais comuns, que deixaram de ser fabricadas a um tempo) são mais laranjas que a luz do dia, então a configuração compensa trazendo tons azuis para a imagem.

Luz do Dia

Deve ser usada quando estiver fotografando com a luz do dia, que é levemente amarelada.

Nublado

A opção dia nublado deve ser usada quando a luz está menos amarelada, quando o sol não está irradiando diretamente nos objetos, fazendo com que a cena tenha cores mais frias. 

Ao selecioná-la, ela compensa a cor da imagem com tons mais avermelhados.

Flash

A luz do flash é um pouco mais fria que a luz do dia, então essa configuração compensará a luz um pouco mais que a “Luz do Dia”. 

Esse ajuste deve ser usado principalmente se a luz de flash for a única iluminação disponível.

Sombra

Objetos em áreas com sombra terão tons mais azuis do que se estivessem sob a luz do dia (ou um dia nublado também), então essa configuração compensa aquecendo os tons ainda mais. 

Também é possível usá-la se desejar cores mais quentes em plena luz do dia.

Luzes Fluorescentes

As luzes fluorescentes dão tons mais avermelhados para as fotos (menos que as de tungstênio, no entanto), então essa configuração deixará a foto com tons mais frios.

Pilares aplicado na fotografia de produto

Bom, agora que você já conhece os pilares da fotografia, é preciso como saber aplicá-lo na hora de fotografar seus produtos. 

É preciso saber que na fotografia não existe receita de bolo, isto é, não tem uma fórmula mágica pronta para cada coisa.

Tudo é necessário testar, analisar, procurar a luz ideal para o assunto a ser retratado.

É interessante você buscar uma assinatura em suas fotos. Um detalhe na luz ou ângulo específico que só você use. Criar uma identidade para sua fotografia.

No caso da fotografia voltada pra produtos, tudo pode ser controlado. 

Não é como em um evento ou ensaio, por exemplo, que você está a mercê do ambiente e/ou clima local e, muitas vezes, refém de momentos específicos. 

Criar e inovar em suas fotos nesse momento é muito mais difícil do que na foto still.

Na fotografia de produto você precisa encontrar a harmonia dos pilares para ter um produto bem iluminado, com volume (não ter uma imagem chapada, sem graça) e num ângulo que o torne especial para o consumidor comprar.

Fotometria

pilares da fotografia fotometro sekonic

Existe um acessório que facilita o ajuste correto da câmera mediante as luzes que você dispõe no ambiente. 

Ele se chama flash meter ou fotômetro de mão.

Com ele você consegue descobrir com apenas um ajuste simples, inserindo a informação de velocidade, no caso para uso de flash, o valor padrão é entre 60 e 125, sendo velocidades de sincronismo do flash com a câmera. 

É necessário inserir o valor do ISO.

Neste caso, fotografando com flash, o ideal é entre 100 e 200, pois quanto menor o valor, menor a granulação da imagem, tornando-a mais nítida e mais próxima do real.

Informações inseridas, basta clicar no botão de mensuração de seu fotômetro manual e em seguida clicar no radio flash de sua câmera. 

Pronto! o fotômetro irá informar o valor ideal da abertura para sua câmera fazer uma foto satisfatória, com uma iluminação ideal para aquela cena.

pilares da fotografia color checker passport x rite

Ajuste de cores

Existe também um outro acessório que ajuda na correção de cores de suas fotografias. 

Ele é muito importante para você conseguir cores fieis dos produtos, sem que haja dúvidas de qual é a sua cor real. É o color checker.

Com ele você ajusta suas fotos com a cor real baseada nas cores padrão e de acordo com a luz do ambiente onde seu produto está sendo fotografado. 

Ele possui o padrão Classic, a cartela padrão do setor com 24 cores de referência para criar perfis de câmera personalisados e para avaliações visuais de cores, que por meio de software próprio em seu computador, irá analisar as cores que sua câmera registra e irá padronizar um perfil de cores com essas informações.

Do outro lado do cartão existe o padrão para Balanço de Cinza para definir a exposição com um medidor na câmera ou portátil e padrão para Balanço de Branco.

Com ele é possível criar um balanço de branco personalizado na câmera para um ponto branco consistente para um conjunto de imagens, sem a necessidade de corrigir cada imagem mais tarde.

São alguns detalhes bem configurados e com ajustes certo que sua fotografia ficará cada vez melhor. Nunca deixe de estudar e aprimorar suas técnicas.

CADA FOTO RUIM É UM INCENTIVO A MAIS PARA VOCÊ PERDER A VENDA

mude este cenário